Sabia que o se browser está desatualizado?

O seu browser está desatualizado e pode não ser compatível com este site. Estes são os browsers mais populares. Clique na imagem para ser redirecionado para a página de download.
Fechar Janela
Fechando esta janela, o site não irá funcionar corretamente.
Portuguese English French German Italian Spanish

Crise abre a porta a novos projetos agrícolas

Publicado por Admin
Categoria: Novidades
on 04 Setembro 2012
Acessos: 1564

A agricultura vive um período de nova expansão em Portugal, contrariando assim o momento vivido na economia portuguesa nos últimos anos, refere o Diário de Notícias.

Portugal está atualmente num novo ciclo alto de investimentos e confiança na agricultura, sector onde não faltam ideias e novos projetos.

Exemplo disso, refere o Diário de Notícias, é o facto do país ser, atualmente, o 5.º maior produtor mundial de tomate e o seu segundo maior exportador.

A zona de Lisboa e Vale do Tejo lidera em produtividade, sendo aqui também que se produz 50% do arroz nacional, e onde fazem sucesso as frutas e hortícolas do Oeste, o vinho das zonas a Norte de Lisboa e da Península de Setúbal e a cultura do milho. Saliente-se aliás que é também nacional a empresa responsável pela produção de milho para as pipocas vendidas em todos os cinemas  NOS, o principal grupo de exibição de cinema nacional.

Todos estes dados foram apresentados durante a conferência sobre empreendedorismo agrícola ‘Cultivar o Futuro’ promovida pelo JN, DN e Millenium bcp.

Durante a mesma lamentou-se, no entanto, o facto de os portugueses não estarem dispostos a pagar um pouco mais pela qualidade dos produtos ‘made in Portugal’.

Os sinais de retoma da agricultura verificam-se também nos investimentos. Nos últimos cinco anos houve cerca de 1,5 mil milhões de euros investidos anualmente em novos projetos ano; o Programa de Desenvolvimento Regional 2007-2013 teve uma execução de 80% e já está para aprovação o novo programa para 2014-2020. Além disso, estão a aumentar também o número de alunos que optam por cursos superiores nestas áreas. 

 

Deixe o seu comentário

Publicar comentário como convidado

0
termos e condições.

Comentários